Registar | Iniciar sessão
Caraterísticas e anatomia dos gatos 1 comentarios

Porque é que os gatos caem sempre de pé?

Porque é que os gatos caem sempre de pé?Sem dúvida que os gatos são –tal como os cães- um dos animais de estimação preferidos pelo homem. A sua beleza, graça, independência e utilidade cativaram a espécie humana, junto a qual foram permanecendo desse há mais de 10000 anos.

Considerado como sagrado por algumas culturas, o gato é protagonista de múltiplas lendas e mitos. As mais conhecidas são as que aludem às setes vidas, e a sua particular forma de cair desde grandes alturas.

Visto desta forma, os gatos mostrem-se como uma espécie com poderes mágicos. Como mitos e lendas no final, as histórias sobre os gatos têm uma base real.

CORPO GATUNO

A solução sobre o misterioso comportamento dos gatos está no corpo do próprio felino. E é que a estrutura física destes animais lhes oferece uma flexibilidade extrema ao ponto de poder efectuar complicados giros de 180 graus, para alcançar estabilidade.

O engenho deste animal para sobreviver perante quedas surpreendentes e a sua força física, sustêm a crença de que os gatos têm sete vidas. Pensamento absurdo, se tem-se em conta que dependem do seu corpo e audácia e, portanto, podem morrer diante determinados impactos.

Ainda que não se deve absolutizar, não é errado dizer que os gatos caem sobre as suas quatro patas desde alturas surpreendentes. A que se deve isto?

A resposta radica em que os gatos possuem 40 ossos a mais que os humanos, os quais se foram repartidos fundamentalmente entre a coluna vertebral e a sua cauda. Isto, unido às almofadas que apresentam entre as vertebras (mais grossas que as do homem), e que podem girar-se e contrair-se até aos limites quase inverosímeis, lhes concede grande flexibilidade.

Por sua vez, a estreiteza do torso lhes permite manter as patas dianteiras muito juntas, características gatuna que junto à sua cauda lhes serve para conservar o equilíbrio

Ainda quando os anteriores mecanismos falhem e o gato perca o equilíbrio; outros componentes do seu corpo se activarão em prol da sua salvação.

ESTÍMULOS PARA O EQUILÍBRIO

Estamos a falar do líquido do ouvido interno, o qual se move enquanto o gato cai. Desta forma, o gato em todo o momento percebe qual é a sua posição e de que maneira pode regressar ao seu centro para cair de pé.

Este liquido circula através de cinco condutos que se encontram alojados no interior do ouvido do gato. Por sua vez, os tubos contêm no seu interior diversos pêlos que, ao entrarem em contacto com o líquido, indicar ao animal qualquer giro ou movimento estranho.

Através deste líquido o corpo do gato adverte mera questão de segundos de que forma é que deve estar a cabeça, o tronco e as patas para suportar o golpe, da melhor forma possível.

A primeira informação que o felino percebe enquanto se precipita é qual deve ser a posição da cabeça. Através deste impulso, o gato gira o seu pescoço para colocar a cabeça na sua altura habitual.

Posteriormente, o felino gira a espinha dorsal e, com ela, num primeiro momento as patas dianteiras, e logo de seguidas as traseiras. Neste ponto, é importante recordar que o gato pode girar até 180 graus sobre si mesmo.

UM PARAQUEDISTA EM CASA

Quando o gato cai desde alturas consideráveis activa outros mecanismos. E é que estes felinos esticam as suas quatro patas e curvam as suas costas para formar um paraquedas. Desta forma, os pequenos aumentam a superfície de resistência do corpo com o ar, pelo que reduzem a velocidade da sua queda para um máximo de 85 quilómetros por hora. Dita postura lhes dá o nome de gato paraquedista.

Segundo investigações, os gatos têm mais possibilidades de cair de pés desde grande altura do que de pequenas. Isto deve-se ao tempo de que o gato dispõe para relaxar o seu corpo e executar os giros. As distâncias curtas impedem, pela sua brevidade, que o gato realize os movimentos precisos para cair sobre os seus pés.

Logo depois de receber os estímulos pertinentes, se o gato sobrevive ao impacto, apenas têm que sacudir a sua cabeça para que o líquido volta à sua postura original. É por isto que, quando um gato cai o vemos realizar esse movimento.

Se a altura não é considerável, o gato activará um reflexo de orientação inato que permite cair em quatro patas, que aparece a partir das 3 semanas de idade e se aperfeiçoa a partir da sétima.

Chegando a este ponto, é importante relembrar que o facto dos gatos caírem de pé não os torna imunes. Por isso, deves evitar que o teu gato esteja perto de varandas ou janelas donde possa cair e sofrer lesões para a vida.

Categorias: Anatomia,
Compartilha-o:
Artigos relacionados
Comentários
Eliminar este comentário
Ola, gostaria de saber qual a fonte q vc leu sobre isso, preciso achar um artigo científico sobre o assunto para um trabalho. Obrigada
Enviar
Registar | Iniciar sessão
Tudo sobre o mundo dos gatos.
Segue-nos no
GatosMania: Contato | Aviso legal
Email ou nome Palavra-passe Fechar ×
Ligar
Esqueci-me da minha palavra-passe
Regista-te no GatosMania.com Fechar ×
Nome/Utilizador:
Email:
Palavra-passe:
Sexo:
Data de nascimento:
  • O teu nome será o teu nome de utilizador e não será possível alterá-lo uma vez que tenhas escolhido um.
  • Ao registares-te nesta página, estás a aceitar os seus termos e condições de uso. Podes lê-los aqui.
Registar
Se o desejares, lembra-te que também podes iniciar sessão com a tua conta do Facebook.